Assim como o corpo, que precisa de exercícios para se manter saudável, também é necessário exercitar o cérebro. Mesmo envelhecendo, o órgão, continua a crescer e mudar os padrões de suas conexões. Estudos relativamente recentes dentro da área da Neurociência descobriram a Neuróbica, a “ginástica para o cérebro”. Ela consiste em exercícios mentais, que estimulam a produção de nutrientes e ajudam a aprimorar as capacidades do cérebro.

Tais exercícios estimulam os cinco sentidos – visão, audição, olfato, paladar e tato – além do campo emocional e social de cada indivíduo. Eles propõem uma inversão na ordem dos movimentos que costumamos fazer no dia a dia. São atividades bastante simples e podem ser feitos a qualquer momento, sem que seja preciso reservar um tempo especial para executá-las, ou seja, ideal para aqueles que reclamam da falta de tempo. Alguns exemplos são:

Introduzir algumas pequenas mudanças nos seus hábitos cotidianos, contribui para exercitar o seu cérebro:

  • Andar pela casa de trás para frente;
  • Usar o relógio no no outro braço;
  • Ver as horas através de um espelho;
  • Ao ler uma palavra, pensar em outras cinco que começam com a mesma letra;
  • Fazer um percurso diferente quando for trabalhar, estudar ou ao supermercado;
  • Escovar os dentes com a mão contrária da qual se está habituado.

Depois de tanto nos dedicar para nos qualificar e ter boas experiências profissionais, tudo que menos desejamos é que nosso cérebro nos falhe, que nos falte raciocínio rápido ou memória. Por isso, manter a mente saudável, por mais que pareça um clichê, ainda é um fator importante para o desempenho de nossas habilidades, principalmente na vida profissional.